Biscoito ou bolacha? Neee! Cookie!

Sempre fui fã de chocolate. Muito chocolate.

Há anos (muitos mesmo!) comprei na banca de revistas um livro, aliás, uma revista, pretensiosamente intitulada “O livro de receitas do chocolate”.

Muitas das receitas eu considerava impossíveis, difíceis demais, sofisticadas demais, com ingredientes estranhos, não encontrados nos supermercados de bairro…

O tempo passa, o mundo muda, as pessoas crescem. Me formei, tirei carteira, viajei para lugares diferentes, conheci pessoas novas e aprendi novos sabores.

O livro de receitas do chocolate - arquivo pessoal

Ainda gosto do chocolate, de muito chocolate. Mas só se for da Haagen-Dazs, né? Midnight Dreams, sorvete de chocolate, com pedaços de chocolate, e calda de chocolate.

Fora esse, aprendi a mediar os sabores, a apreciar a textura de um bom chocolate, em lugar de me entupir simplesmente de gordura hidrogenada com gosto de cacau. Claro, um Batom ou um Suflair tem seu lugar, mas hoje, prefiro poupar e comer, mais eventualmente, um chocolate de boa qualidade, com sabor e textura de chocolate.

Com exceção de quando me permito os excessos (trocadilho infame esse, hein? Admito…) aprendi a dosar a quantidade de chocolate. E a experimentar receitas novas. Depois de finamente conseguir fazer pão de queijo, sozinha, decidi que nada é impossível na cozinha.

E então, receitas que são na verdade, super simples, só são diferentes da tradicional cozinha mineira com a qual eu cresci, entraram para o cardápio.

Estou morando de novo, por uns tempos, na casa de meus pais. Meu cachorro teve um problema de saúde, o tratamento é bem caro, e tive que fazer a opção. Claro que não é fácil, mas tampouco é impossível. Apesar de nossas brigas, minha mãe hoje é uma pessoa que respeito mais a cada dia.

E meu cachorro está reagindo bem ao tratamento, a bicharada está se dando bem, então, provisoriamente, está tudo bem.

Pagu e Charlote - arquivo pessoal

Na quinta-feira, me deu vontade de comer cookies. Já havia feito Biscotti de Chocolate, da Ana Elisa, do La Cuccineta (que descobri há uns três anos, e me inspirou a arriscar na cozinha) e cookies de café e nozes, também do La Cuccineta, com adaptações.

Não tem coisa mais fácil de fazer que o tal cookie. Em meia hora, havia um tabuleiro com cookies crocantes E macios, com gotas de chocolate, e aroma de baunilha perfumando a cozinha. Preparei enquanto minha mãe e minha irmã tomavam café com pão, e até D. Helena teve que admitir que é gostoso. E ficou impressionada com a rapidez de preparo.

Primeira fornada! Ficaram lindos e deliciosos! - arquivo pessoal

Mamãe comentou comigo que as receitas de quitutes que ela cresceu aprendendo são demoradas, tem que por a mão na massa, escaldar polvilho, além de serem receitas “grandes”, que rendem muito. Claro que ela teve que criticar o cookie, pois rende pouco e é meio doce demais…

Mas no geral, foi um sucesso.

Aqui a receita:

Ingredientes:

125 g de manteiga (se for em barra, dá pra cortar certinho – pelo menos a manteiga Itambé, vem com as divisões. Se for em pote, usei quatro colheres cheias)

200 g de açúcar (eu usei metade cristal comum, metade demerara) usei um medidor, mas em geral, é uma xícara e meia de chá de açúcar

1 colher de chá de extrato de baunilha (usei artificial, mas ainda vou aprender a fazer o natural!)

1 ovo (grande)

250 g de farinha de trigo (usei com fermento) – ou 2 xícaras cheias

150 g de chocolate em gotas (ou pedaços de chocolate, picado miúdo) – 01 xícara ou o quanto vc quiser. Pode substituir o chocolate por outra coisa, tipo nozes, avelãs, castanhas… (jujubas eu nunca tentei, será que presta??)

Modo de preparo:

Aqueça o forno, a 200º

Forre um tabuleiro grande com papel manteiga (o lado liso pra cima)

Bata o açúcar com a manteiga, até ficar um creme pesado

Misture o ovo inteiro (sem a casca… hahaha – esse link é uma dica da minha amiga Léa!)

Acrescente a baunilha, batendo sempre.

Em seguida, peneire a farinha, e misture até ficar homogêneo.

Coloque o chocolate, e misture.

Coloque a massa, às colheradas, no tabuleiro, formando bolas e amassando para ficarem achatadas, no formato de cookie.

Coloque mais separados, porque eles “esparramam” quando esquentam.

Leve ao forno por 12 a 15 minutos, até ficarem douradinhos levemente, na borda. Quanto mais tempo ficar no forno, mais secos eles ficam. Então, 15 é o máximo de tempo, senão ficarão ressecados.

Ah, sim: quando tirar do forno, deixe esfriar e depois retire com uma espátula, para não quebrar. Eles endurecem mais depois que esfriam, então, não se preocupe se no momento em que saírem do forno e você, gulosa como eu, quiser um cookie quentinho, retirar uma coisa meio molelenga…

Eu e meu cookie: par perfeito! - arquivo pessoal

Da próxima vez, vou fazer com menos acúcar, porque, realmente, ficou muito doce, ainda mais que coloquei chocolate. Ou então, vou colocar nozes ou avelãs, algo menos doce (capaz… )

Fica delicioso como lanchinho, e esses ficaram parecidos com os do Subway, no quesito crocantes e macios. Mil vezes melhor que qualquer cookie industrializado que já provei!

Então, mãos à obra!

Faça o seu, e modifique o que quiser, com a experiência, a gente aprende o que dá pra mudar, e deixar a receita com a nossa cara!

Bom sábado, e não se esqueçam: toda gordice será perdoada!! 

Toddy, se deliciando com o que resta do osso - arquivo pessoal

Anúncios

Sobre renatalima91

Ninguém na fila do pão. Delegada de Polícia, mãe, feminista.
Esse post foi publicado em Trem Bão (Um Cadiquin das Geraes) e marcado , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Biscoito ou bolacha? Neee! Cookie!

  1. Liliane disse:

    Amei a receita só falta criar coragem de fazer… Será que me arrisco um dia na cozinha.

  2. renatalima91 disse:

    Liliane,
    Arrisca sim!
    Cozinhar é prática. Com o tempo, fica tudo mais fácil.
    É igual dirigir.
    Quando estava na autoescola, e logo que tirei a carteira, ficava em pânico, achava que jamais iria conseguir dirigir e cumprimentar alguém na esquina. Hoje a gente dirige, conversa, fuma, não fala ao celular (claro que não!) e parece a coisa mais simples.
    Assim é cozinhar.
    Eu comecei fazendo bolos.
    Depois, tive que aprender a fazer arroz e feijão.
    E hoje, me atrevo a escrever em um blog de culinária!
    Vai lá, faz o cookie, vai ficar bom!
    E depois conta pra gente!
    Bj

Os comentários estão encerrados.