Homem ensina: cozinhar pode ser improvisado!

Na recente quarta-feira, 28 de setembro, Jô Soares entrevistou um desses célebres desconhecidos, que você gostaria muito de ter encontrado na vida, Marcos Baô ( blog aqui). Ele não tem a aparência física de um deus grego, mas tem uma qualidade, que julgo arrasadora em homens, cozinha! E, mais, improvisa na cozinha, de acordo com sua necessidade e criatividade.

Acredito que cozinhar seja uma espécie de irmã “realística” da alquimia. Não julgo essencial a um bom cozinheiro apenas ter técnica, mas, principalmente, saber se guiar pela intuição, gostar de experimentar, de imaginar, de testar e, principalmente, não ter medo de errar.

Seguir receitas é ótimo, especialmente, quando não fazemos idéia de como chegar ao produto final. No entanto, o que mais me encanta é mudar receitas, de acordo com meu paladar. Para isso, faz-se necessário conhecer a si mesmo e estar aberto para experimentar sabores e texturas diferentes. Mas, afinal, provar não seria um grande privilégio, em tempos tão industrializados?

Pois bem, Marcos Baô também pensa assim, e se apresenta como um cozinheiro alternativo. Usa as técnicas que escolheu, o que inclui abrir mão de fogão e microondas, para chegar às refeições que julga interessantes para si. Sua comida soa despretensiosa e leve, como poderia ser nossa culinária diária, isto é, sem estresse, sem “deu certo” ou “deu errado”, tão-somente, “saborosa” ou “pouco saborosa”. Será que aprender a cozinhar de maneira livre e leve não seria uma boa receita para nós, mulheres “liberadas”, seguirmos?

Não precisamos mais nos acomodar perante os padrões rígidos do “jantar perfeito”, da “sobremesa ideal”, do “vinho apropriado”, que fora ditado por outras pessoas, em outro tempo e espaço. Podemos ousar, descobrir, remodelar nossos pratos tradicionais e, com isso, surpreendermo-nos com nossa capacidade criativa. Podemos, também, estimular nossos queridos a cozinharem, porque nossas casas não deveriam mais separar a cozinha da copa. Aquele que estiver na mesa, poderá ocupar, sim, o fogão e é saudável que ocorra dessa maneira.

Vejamos, então, a entrevista concedida por Marcos Baô, ao fofíssimo Jô Soares! Quem tentará reproduzir a receita do “pão” de banana?

Anúncios

Sobre Talita R da Silva

Linguista indigenista, amante de literaturas, feminista em eterno processo de aprendizagem. Uma machadiana sob o signo de escorpião!
Esse post foi publicado em Lilith na Cozinha e marcado , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Homem ensina: cozinhar pode ser improvisado!

  1. Darlana Godoi disse:

    Adoro improvisar!!!!! Na verdade tenho até dificuldade de fazer uma receita do jeitinho que ela é…Sempre tenho “My version of”… As receitas assim são sempre minhas…

  2. Darlana, também acho super prazeroso esse “customizar” do sabor, sem contar que dá uma sensação de poder, né? hehe

    Obrigada pelo comentário! Beijo.

Os comentários estão encerrados.