Amarelinho

A Cecilia acha que me deu uma cuscuzeira. Mas o que eu ganhei mesmo foi quase uma máquina de teletransporte. Porque assim, uma hora você bem está em São Paulo, e a vida passa em preto-e-branco. Daí uns minutinhos depois nasce um sol amarelo do tipo que lembra férias, família, sotaques – Nordeste. Com o cuscuz, o apetite ganha da saudade. O café da manhã parecia então saído direto de um quadro do Van Gogh. A companhia foi também amarela: ovos mexidos, manteiga, suco de maracujá.

Vamos viver no Nordeste? Lá tem brisa.

Anúncios
Esse post foi publicado em Fast Food e marcado , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Amarelinho

  1. Luciana disse:

    Quero merendar com você.

  2. Luciana disse:

    E eu amo essa canção, vou passar o dia cantando.

  3. Oba!!! Adorei o post, lindo e sensorial!

  4. Anne disse:

    Adorei o post, achei linda essa cor amarela. Está combinando com o dia de hoje, um sol lindo, pra compensar meu nervoso.
    Gostei muito.

Os comentários estão encerrados.