Extremamente Fácil

Bom, não está fácil. Não está nada fácil. Talvez, com maior precisão, eu até deveria dizer: está difícil. O que não é nem um pouco difícil é fazer um talharim do jeitinho que eu eu faço. É assim: você fica trabalhando até umas 23:30hs, corrigindo trabalho, preparando aula…aí pensa: a vida é mais que isso e vai bisbilhotar blogs e papear no twitter. Ri um pouco. Passa o tempo, tic-tac, passa a hora, chega logo…não, não chega. Não basta, mas é o que tem. E o tempo, gentil, não se esquece de passar. E aí vem a fome. Aquela de quem não se lembrou de jantar e pensou que ia dormir cedo. Pois é. Aí você põe a água pra ferver, porque será macarrão. E vai espiar a geladeira. Pinica o bacon em quadradinhos bem pequenos, frita e escorre a gordura. Nessa gordura ou no azeite (eu prefiro no azeite) refoga rodelas de cebola até que fiquem murchinhas e joga uma pitada de noz moscada e outra de páprica picante. Aí coloca pedaços de gorgonzola e vai amassando com a colher. (Já escorreu o macarrão? Tá na hora) Então, vai amassando o gorgonzola até ficar uma pasta, dilui no creme de leite, agora jé é hora de incluir os pedacinhos de bacon e voilá, derrama tudo em cima do seu talharim, descobre uma garrafa de tinto, abre a janela, dá uma paquerada com a lua, coloca a Habanera com Maria Callas e se permite, por um instante, pensar que sim, é isso. Porque amanhã, ah, amanhã não vai ser fácil.

Anúncios

Sobre Borboletas nos Olhos

É melhor morrer de vodka do que morrer de tédio, disse Maiakovski. Brindo a isso enquanto acontecem-me coisas surreais. Segue o meu perfil quando me vejo assim: cara a cara comigo mesmo. Ou seja, meio de lado. Um mosaico com rachaduras evidentes. Nostálgica, mas disfarço com o riso fácil. Leio de tudo e com desespero. Escrevo sem vírgulas, pontos ou educação. Dou um boi pra não entrar em uma briga, o resto já se sabe. Considero importantíssimo saber rir de mim mesma. Nem que seja pra me juntar ao grupo. Certa da solidão, fui me acostumando a ser boa companhia. Às vezes faço de conta que sou completa, geralmente com uma taça na mão. Bebo cerveja, bebo vinho e, depois das músicas italianas, bebo sonhos. Holanda, por parte de mãe e de Chico. John Wayne, por parte de pai. Borboleta e Graúna por escolha e história. Tenho uma sacola de viagem permanente no meu juízo e a alma, de tão cigana, não para em palavra nenhuma. Gostaria de escolher meus defeitos, mas não dando certo isso, continuo teimosa. Não sei usar a nova regra ortográfica. Nem a velha, talvez. Amo desvairadamente. E tento comer devagar. Sei lá, pra compensar, talvez. Tem gente que tem a cabeça no mundo da lua. Eu não. Quando vou lá, vou toda. Sou questionadora, mas aceito qualquer resposta. Aspecto físico? Língua afiada e olhos cor de saudade. Gosto de fazer o que eu gosto. No mais, preguiçosa. Sabia o que é culpa, mas esqueci. Nada mais a dizer, prefiro andar de mãos dadas. E dormir acompanhada. Mas, bom, bom mesmo é sal, se você já leu Verissimo.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Extremamente Fácil

  1. Maggie May disse:

    puxa…eu nem vou falar quando vou usar esta receita…rs

    beijo!

  2. Anne disse:

    Por aqui também está difícil, maaaass sempre tem comidinha gostosa. Adorei a combinação do gorgonzola com o bacon. Nunca testei, vou fazer logo, logo.
    Beijinhos,

Os comentários estão encerrados.