Maçã do Amor! Êba, festa junina!

Festa junina tem sabor de infância, de quadrilha, de quentão, pipoca e amendoim. Pro meu marido tem gosto de pinhão e pipoca. Cada um tem uma lembrança e um sabor ligado com festa junina. Eu gostava de dançar quadrilha, apesar de brigar às vezes com uns meninos chatos que insistiam em me chamar de baleia. Muita coisa mudou daquela época até agora, mas se tem uma coisa me lembra festa junina é maçã do amor.

Sabe aquela maçã caramelizada? Então, eu adorava. Quando criança eu morei numa fazenda em Antonina, litoral do Paraná, e nas festas juninas sempre tinha maçã do amor. De tanto que gostávamos minha mãe aprendeu a fazer e anotou a receita num caderno muito do lindo que eu dei de presente para ela no dia das Mães de 1983. Naquela época, no colégio de freiras que estudava esse era o presente esperado pela mãe. Apesar das conotações machistas que podemos tirar desse fato, foi através desse caderno que me interessei pelo mundo da culinária. Adorava copiar as receitas para minha mãe. Quando não estava lendo estava copiando receita.

A folha do caderno que tem a receita da maçã do amor se apagou, então reproduzo a receita como lembramos:

Maçã do Amor

1 copo de açúcar

1 copo de glucose de milho (a receita é antiga e conseguimos decifrar que tinha de ser o K*ro de rótulo vermelho. Não pergunte o motivo, nem sei se existe ainda essa diferenciação, só sei que fizemos no fim de semana passado com um normal e deu certo. Fica o mistério do rótulo vermelho)

1 colher de xarope de groselha

maçãs

palito de sorvete.

Modo de fazer: misture bem todos os ingredientes e leve ao fogo brando. Prenda o palito de sorvete na maçã. Quando a mistura estiver fervendo mergulhe a maçã segurando pelo palito. Deixe secar um pouco. Dá para deixar espetados os palitos numa base de isopor. A cobertura endurece logo.

Não tenho fotos da maçã do amor porque esqueci de levar a máquina fotográfica na casa de minha mãe. Como trouxe o caderno de receitas comigo, vai uma fotinho dele com receita de pipoca caramelada junto para quem quiser.

Pipoca caramelada, foto Anne Cristine

Vasculhando esse caderno encontrei a receita do bolo de banana da Cecília, copiada com a minha letra no ano de 1983. Fiquei emocionada, porque obviamente as receitas giram o mundo, mas é tão legal ver isso acontecer.

Anúncios

Sobre annerodrigues

Amante de comida e de animais, feminista, advogada, boa ouvinte. O resto é o resto.
Esse post foi publicado em Quarta Gorda. Bookmark o link permanente.

6 respostas para Maçã do Amor! Êba, festa junina!

  1. Luciana disse:

    Fiquei comovida. Muito. Que doce que é o querer bem. Que linda que você é. E eu nem gostava de maçã do amor mas agora gosto, só de te ler.

  2. Cecilia disse:

    Anne, cadernos de receitas são uma memória boa demais. Minha mãe guarda um caderno de receitas, na verdade uma cadernetinha, que eu escrevi a partir de uns 7 ou 8 anos, com aquela letrinha de criança. E maçã do amor também faz parte das minhas memórias, de uma época de brincar na calçada à tarde e de vendedores venderem essas coisas na rua. Tinha o do quebra-queixo, coisa boa demais!

  3. Anne disse:

    Ah, dá uma segunda chance pra maçã do amor. Você vai ver como o azedinho combina com o doce da cobertura.
    Beijinhos.

  4. Anne disse:

    Então, Cecília, caderno de receitas é muito legal, porque você lê a receita, lembra do dia que fez, a bagunça que rolou. Eu e minha irmã fazíamos muita bagunça na cozinha da mãe. Era muito divertido. Tem uma receita de bolo de chocolate que a folha onde está escrita tem óleo, farinha e chocolate. Cada vez que eu ia fazer derrubava alguma coisa nela. Muito engraçado.
    Beijinhos

  5. hermann disse:

    quanto q custa uma maça do amor

  6. vania disse:

    Seu caderno é bem parecido com o meu ,kkkkkkkkkkkkkk!!

Os comentários estão encerrados.