O que fazer quando sua vida vira de cabeça pra baixo?

Esqueci do post de hoje.

Tanta coisa mudou em duas semanas, que minha vida ficou meio fora de prumo.

Acordei hoje onze horas, e tomei de café da manhã uma coca cola sem gás, um bombom meio passado e um cigarro.

E sai para passear com as cachorras. Foi uma zona. Minha casa está com pelos por todo o lado, Mafalda comeu meu sofá, minhas almofadas, Lili (gata nova… arruma pra cabeça, vai, Renata…) comeu o fio da internet…

Enquanto decido o que fazer da minha nova vida, confesso que não tenho me lembrado de comer. Fazer comida para uma só pessoa, ainda tenho preguiça, às vezes.

E o que fazer quando a uma só pessoa está com a cabeça virada? Com a vida bagunçada, com o coração partido, com a mágoa querendo sufocar os bons sentimentos, as boas lembranças?

Eu digo: de cambalhotas!!!

Gire, gire, rodopie!!

Coloco Los Hermanos no talo, para chorar e lembrar e chorar mais.

Escuto “Adeus você”, e choro, e choro, e choro.

E a cachorra, que ficou, me pede carinho e me olha com tanto amor, o amor que um dia eu acreditei ver nos olhos dele.

Mas ele foi para o lugar dele, onde quer que seja, foi para outros braços, de quem quer que sejam.

E eu paro de chorar, e coloco Ramones para tocar, mais alto ainda, e canto junto, aquelas letras ingênuas, aquela batida básica, e meu coração volta a bater com força.

A vida não tem receita. A gente improvisa o café da manhã nada saudável, passeia com as cachorras, chora, abre uma cerveja, e bebe sozinha.

Mas dessa vez, sem choro.

Girando pela sala, cantando com as cachorras, brindando a vida, o amor, a família, os amigos, novos e velhos, e ainda por fazer!

Sem receitinha hoje. Vou filar o almoço na casa da mamãe!

About these ads
Esse post foi publicado em Trem Bão (Um Cadiquin das Geraes) e marcado , , , . Guardar link permanente.

12 respostas para O que fazer quando sua vida vira de cabeça pra baixo?

  1. Marie disse:

    Força aí, Renata.

    Um beijo.

  2. Oi querida,

    É com o coração na mão que leio seu post. E com uma rara ausencia de palavras que escrevo aqui. Não sei o que dizer. Que passa? Sim, voce sabe disso. Mas falar isso agora não vai adiantar. Porque na hora da dor, não conseguimos enxergar além. Que tudo vem para o bem? Com certeza, mas voce também não vai dar conta de perceber nesse momento o aprendizado necessário, os frutos bons de algo tão dolorido. Um dia verá. Se voce se empenhar em fazer uma coisa agora, com o resto de forças que ainda possui -> Perdoa! Perdoa, de todo o coração, de todo o seu entendimento. Perdoa de verdade, com alma. Tudo ficará mais fácil e leve. E vc poderá rodopiar sem sentir o peso da mágoa a lhe machucar e a lhe jogar pra baixo.

    Também sei que, nesse exato instante, o perdoar é quase uma afronta a sua dor. Mas é o seu melhor remédio. Acredite!

    Ah, e conte com os amigos. Eu já lhe ofereci e faço mais uma vez o convite. Vem pro sossego da roça, um dia, um fim de semana. Amigo é pra essas coisas.

    Bjs,

    Adriana

  3. Anne disse:

    Oi Renata!
    Primeiro, sua linda!
    Segundo: filar almoço na casa da mãe é muito do bom.
    Fica bem, quer um brigadeiro de colher? Eu faço pra você e mando pelo correio.
    Beijinhos

  4. Bárbara Lopes disse:

    Renata, queria tanto estar aí pra te dar um abraço! Nem tudo na vida tem receita, né?
    beijo

  5. Sara Joker disse:

    Menina, força! Sabe que nós sempre estamos torcendo por vc e desejando apenas a sua felicidade!
    A gente te ama!

  6. Linda, você sabe. Eu sei que você sabe. Então vou te passar a receita pra um dia como hoje. Frango com cerveja. Ingredientes: 16 long necks e um frango. Coloca as cervejas pra gelar. Abre uma. Bebe. Abre outra. Bebe. Telefone pra mim. Abre outra. Papeia. Outra. Papo. Quando der fome, liga pra galeteria. Pede um frango. Abre outra e espera. Enquanto espera, outras. O frango chega, dá uma paquerada com o entregador sem ver direito como ele é. Come e bebe. Bebe. Telefona pra mim outra vez. Papeia. Vai dormir. A vida segue, não porque queremos, mas porque é assim que é. Mas não tem pressa se a cerveja estiver gelada. Beijo.

  7. Cecilia disse:

    Lindona, é tempo de se dar toda pra si, fazer o que tiver vontade, não fazer nada se não tiver vontade. Comer na casa da mãe, das amigas. Receita, a da Lu é ótima! Vem pra cá, vem passar um fim de semana com a gente, deixa a gente cozinhar pra você. Fica bem!

  8. a minha receita:
    vinho na taça, Nirvana em ultimo volume gritando com o kurt, e para dormir Cat Power.

  9. Barbara Manoela disse:

    Rê, querida… força ai. A gente sabe que essas dores de amores passam, mas até que isso aconteça, a dor persiste e dói e parece que a gente vai se rasgar inteira, de cima a baixo… e passa, e a gente só se fortalece e se sente linda pra encarar a história seguinte.
    Como diz o The Fevers, “fica linda que o amor não passa”.
    Todos os meus abraços e afofos pra você.
    E faço coro à Cecilia: vem!!!

    beijos

  10. Iara disse:

    Passei aqui só pra dizer que voto por você passar um final de semana com a gente sendo paparicada. Mas posso te dizer que o mais lindo da vida ela não te trouxe ainda, tenho certeza. Tem muita coisa linda pra você viver. Abração apertado procê!

  11. Renata disse:

    Queridas,
    não tenho nem palavras.
    Vcs tem essa capacidade, de me deixar sem palavras.
    Tive que falar aqui, também, pq estava agendada, esqueci de pedir para a Lu trocar comigo, e olhando os posts anteriores, vi que sempre falava dele.
    Agora não tem mais ele, e ficou um pouquinho de amargura…
    Sempre fica, no começo, aquele travo amargo, que só cura com perdão, de si para si, mais que de si para os outros.
    Achei que estava escrevedo com leveza, mas vcs, perceptivas como são, sacaram logo, né? ;-)
    Agradeço tanto, tanto, o carinho!
    Mesmo de longe vcs estão me paparicando e me ajudando a superar.
    Até o próximo post, e se ninguém colocar pé-de-moleque, vou pedir a receita da minha mãe!
    Bjs bjs, bjs imensos em todas vcs!!!!

    Renata

  12. Cláudia disse:

    Eu adorei a receita da Lu, acho que é perfeita pro momento que você tá vivendo. Tudo que eu posso te dizer é que desde o nosso primeiro tuíte que senti uma empatia enorme por você e como disseram acima: a vida ainda tem muito a te oferecer :). Sinta-se abraçada, viu?

Os comentários estão desativados.